Embarcação do Inferno

Co-produção entre CENDREV – Centro Dramático de Évora e A Escola da Noite.

Estreado em 2016 no Teatro Garcia de Resende, com encenação de António Augusto Barros e José Russo, “Embarcação do Inferno” mantém-se em cena até hoje, tendo sido apresentado em mais de 200 sessões. Foi visto até ao momento por mais de 18 mil espectadores.

A obra de Gil Vicente é uma marca incontornável nos repertórios d’A Escola da Noite e do Cendrev, que partilham o gosto por trabalharem sempre o texto original, ainda que por meio de abordagens cénicas contemporâneas.

No ano em que se assinalaram os 500 anos da primeira apresentação do “Auto de Moralidade da Embarcação do Inferno”, também conhecido como “Auto da Barca do Inferno”, os dois grupos decidiram montar o mais estudado e mais emblemático texto vicentino. As companhias assumem a vontade de celebrar com o público este momento fundador do Teatro português: Gil Vicente não é “apenas” o nosso maior dramaturgo, ele é uma das figuras cimeiras da nossa literatura e da nossa cultura, pese embora o insistente esquecimento a que tem sido votado. À falta de datas precisas de nascimento e morte, é a sua obra que pode e deve ser comemorada, em particular o “Auto da Barca do Inferno”, obra maior da Idade Média europeia.

A peça tem cumprido uma intensa digressão por todo o país (16 localidades, 211 sessões, mais de 22.205 espectadores).

As duas companhias convidam assim os espectadores a voltarem a olhar para a peça e a confrontarem-se com tudo o que ela continua a ter para nos oferecer, cinco séculos depois. No texto que escreveu para o programa do espetáculo, o consultor científico do projeto, José Augusto Cardoso Bernardes, salienta: “pela mão qualificada, segura e inventiva da Escola da Noite e do Centro Dramático de Évora, ficamos em condições de problematizar temas de sempre: Morte e Vida, Mal e Bem, Ter e Poder. E, para tal, nem sequer precisamos de sair completamente do século XXI. Com os pés assentes no nosso tempo, bastará alongar o ouvido e apurar a visão para escutar a sensibilidade e a moral de um outro tempo que, afinal, não está ainda tão afastado de nós como pode parecer.”

O espetáculo é co-encenado pelos diretores artísticos das duas companhias – António Augusto Barros e José Russo e conta com um elenco de ambas as companhias. A equipa inclui ainda Ana Rosa Assunção (figurinos e bonecos), João Mendes Ribeiro e Luisa Bebiano (cenografia), António Rebocho (iluminação) e Luís Pedro Madeira (música).

 


FICHA TÉCNICA
:

Texto: Gil Vicente | Encenação: António Augusto Barros e José Russo | Interpretação: Ana Meira, Igor Lebreaud, Jorge Baião, José Russo, Maria Marrafa, Miguel Magalhães, Ricardo Kalash, Rosário Gonzaga (os atores Maria João Robalo, Rui Nuno e Sofia Lobo fizeram também parte do elenco) | Cenografia: João Mendes Ribeiro, Luísa Bebiano | Figurinos, bonecos e imagem gráfica: Ana Rosa Assunção | Música: Luís Pedro Madeira | Desenho de luz: António Rebocho | Consultadoria científica: José Augusto Cardoso Bernardes | Consultadoria de esgrima: Henrique Guerra | Assistência de encenação: Sofia Lobo | Direção de montagem: António Rebocho, Rui Valente | Operação de luz e som: António Rebocho, José Diogo | Direção de cena: Miguel Magalhães | Fotografia: Carolina Lecoq, Eduardo Pinto, Paulo Nuno Silva | Construção e Montagem de Cenário: António Rebocho, Carlos Figueiredo, Paulo Carocho, Tomé Antas, Tomé Baixinho | Execução De Figurinos: Maria Do Céu Simões | Produção Executiva: Cláudia Silvano, Pedro Rodrigues | Agradecimentos: Brigada De Intervenção — Exército Português, Cena Lusófona, Companhia De Bombeiros Sapadores De Coimbra, Teatro Dos Estudantes Da Universidade De Coimbra
 

Número de espectáculos200


Realizou-se mais uma temporada com o espetáculo, no Teatro Garcia de Resende em Évora de 15 a 19 e 22 a 26 de Janeiro de 2024,.

Sessões para público escolar (9º/10º/11º/12º) às 11h00 e 15h00.

Sessão para público, 20 de janeiro às 19h00

 

Ao todo, foram 16 sessões para escolas e associações de pensionistas e reformados pertencentes aos distritos de Évora e Beja (Évora, Moura, Beringel, Beja, Cuba, Vidigueira, Arraiolos, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Alvito, Serpa, S. Manços, Torre de Coelheiros, Boa Fé, Giesteira, Azaruja), contabilizando um total de 1668 espetadores.

Sessão 190 da Embarcação do Inferno, no Teatro da Cerca de S. Bernardo.
Coímbra, 11 de Janeiro de 2023.

Com Rosário Gonzaga, Ricardo Kalash, Jorge Baião, Ana Meira, José Russo, Igor Lebreaud, Miguel Magalhães e Maria Marrafa.


Jeremias Peixinho

Jeremias Peixinho conta a sua história desde antes de nascer. Começa dentro da barriga da mãe, continua com o seu nascimento, fala-nos da sua relação com os outros e termina na sua última e maior aventura: mergulhar definitivamente no seu elemento, a água.
Acompanhamos com emoção a poética metamorfose do personagem apoiado pelos pais perplexos mas amorosos e tolerantes que o vão ajudar a realizar seu grande sonho – viajar pelo mundo dos oceanos na sua condição de peixe.
Um conto moderno, para o público mais jovem, que nos encanta pelo realismo mágico que propõe de maneira simples e com uma irresistível poesia.

 

Ficha técnica:
Texto: Mohamed Rouabhi | Tradução, Dramaturgia e Encenação: José Caldas | Cenografia, Figurinos e Adereços: Luís Santos | Costureira: Adozinda Cunha | Construção cenografia: Hélder Cavaca | Apoio execução cenografia e adereços: Bernardo Bagulho | Desenho de Luz: António Rebocho | Operação luz e som: Fabrisio Canifa | Ambiente sonoro: António Bexiga | Interpretação: Beatriz Sousa, Hugo Olim, Ivo Luz, Jorge Baião, Maria Marrafa e Rosário Gonzaga | Participação especial: Fabrisio Canifa | Produção e Direção de Cena: Beatriz Sousa | Direção Técnica: António Rebocho | Direção de produção: Claúdia Silvano | Comunicação e fotografia: Carolina Lecoq | Design gráfico: Alexandra Mariano | Fotografia cartaz: Luís Santos | Tradução LGP: Núria Galinha | Operação de Cena pelos Técnicos da Câmara Municipal de Évora: Miguel Madeira, Paulo Carocho e Tomé Baixinho | Agradecimentos: Natércia Pacheco e Graça Vilhena

Fotografia: Carolina Lecoq

Classificação etária: M/6

 

Auditório Municipal de Reguengos de Monsaraz – 17h30

 

Outras datas:

Évora, Teatro Garcia de Resende:

24 de novembro a 11 de dezembro, 2022
Horário: 18h30 (quarta a sábado) | 16h00 (domingo)
Sessões de língua gestual dias 3 e 4 de dezembro, 2022

Sessões para escolas, de 3 a 5 e de 8 a 12 de maio, 2023 : 10h30 e 15h00

 

Coimbra, Teatro da Cerca de S. Bernardo:
Dias 20 e 21 de janeiro, 2023

 

 


 

Organização: CENDREV | Câmara Municipal de Évora
Apoios: DGArtes, IEFP | Estrutura pertencente à Rede Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP)
Media partners: Registo, Diário do Sul e Telefonia do Alentejo
Preço: 8€ (descontos para estudantes, seniores, grupos e famílias)
Sessões para escolas gratuitas.


Informações: (+351) 266 703 112 / Contactos
Compra de bilhetes: www.bol.pt

 

facebook.com/cendrev.teatro
instagram.com/cendrev.teatro


Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim

Não esperem encontrar aqui o lado quimérico e altruísta do amor romântico. Quando a luz se apagar, começará a história cruel e engraçada de um homem que precisa de uma mulher para não morrer sozinho, para não se entregar à idade e à simples morte. Quando a luz se apagar, começará a aventura louca e exaustiva de uma jovem que busca em todos e não encontra em nenhum. Porque esta é uma história de amor, esta é uma história de desejos: desejo louco de amar, de gostar, de viver ao extremo, de desafiar o tempo e a idade inevitável. Os personagens desta aventura na escuridão, impulsionados por um desejo inesgotável, vagueiam pelo meio da noite e através de um jardim exuberante em busca da eterna juventude.

 

FICHA TÉCNICA:
Texto: Federico Garcia Lorca | Tradução: Eugénio de Andrade | Interpretação: Ana Dias, Jorge Baião e Maria Marrafa | Encenação e Dramaturgia: José Russo | Cenografia, Figurinos e Adereços: Filipa Malva | Direção musical e banda sonora: Hugo Monteiro | Desenho de Luz: António Rebocho | Operação luz: Fabrisio Canifa | Operação de som: Ivo Luz | Contrarregra e figuração: Beatriz Sousa | Confeção de Figurinos: Adozinda Cunha, Eliana Valentine | Construção cenografia: Helder Cavaca | Apoio nas pinturas: Bernardo Bagulho | Direção Técnica: António Rebocho | Direção de produção: Claudia Silvano | Produção executiva e Direção de Cena: Beatriz Sousa | Comunicação: Carolina Lecoq | Desenho gráfico: Alexandra Mariano | Secretariado: Ana Duarte | Tradução LGP: Núria Galinha | Apoio colaborativo: Serralharia Correia & Pulido, Lda

Circulação pelas freguesias rurais do Concelho de Évora em julho de 2023

Sempre às 21h30

Dia 2 – Pátio da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede
Dia 4 – Largo Abel Augusto – Guadalupe
Dia 11 – Largo Dr. Barahona, Azaruja
Dia 14 – Largo dos cogominhos – Torre de Coelheiros
Dia 16 – polidesportivo, recinto de festas ao ar livre, S. Sebastião da Giesteira
Dia 22 – Largo da Junta de Freguesia da Graça do Divor
Dia 27 – Praça José Joaquim Calado Piteira, Canaviais
Dia 29 – Edifício da Casa do Povo, S. Miguel de Machede

Em circulação por outros locais

Dia 8 de julho – Jardim Público de Viana do Castelo
Dia 19 de julho – Espaço NORA de Serpa


O Lago dos Cisnes - Cirque Chorègraphié

À música de Tchaikovsky, O Lago dos Cisnes, rearranjada por Florence Caillon numa partitura musical moderna, cinco dançarinos de circo formam uma comunidade surpreendente de cisnes.
Entre a ilusão de amor e o reconhecimento do outro, Florence Caillon oferece uma versão de circo coreografado. Uma versão circense contemporânea deste ballet mítico, rico em novos movimentos.
Florence é simultaneamente compositora para filmes e artista de circo, iniciando um circo coreografado, Florence Caillon convida-nos a mergulhar de novo na imaginação deste ballet estreitando ainda mais as ligações entre o movimento circense, a coreografia e a música.
Solos, duetos, trios e movimentos de grupo são alternadamente inspirados pelo comportamento animal e humano, e explora as ligações que unem os seres vivos e formam a base das suas relações.
Este lago, uma metáfora para o nosso mundo de uma forma mais pequena,
fala da fragilidade da vida e recorda-nos a nossa interdependência com o mundo vivo como um todo.

 

Teatro Garcia de Resende
16, 17 e 18 de Dezembro 2022 – 18h30
80′
Sem lugares marcados
informações e reservas:
(+351) 266 703 112 / geral@cendrev.com / www.bol.pt
Bilhete: 8€ (descontos para estudantes, seniores, famílias e grupos)


SALÃO: UM ESPAÇO DESEMPOEIRADO – Escrita para Cena

No mês de Novembro falamos de escrita para cena. A génese da escrita para teatro é indissociável do corpo e da voz do ator. Não se trata só de literatura. Os grandes clássicos, como Molière, Shakespeare ou Gil Vicente sempre escreveram para companhias, para corpos vivos.

A escrita dramática afasta-se das suas irmãs literárias por de facto só estar completa quando habita o efémero. Como é que se escreve sabendo desta condição profana.

Bem Vind@s ao Salão.
Horário: 18h30
Telefone: 266 703 112
Email: geral@cendrev.com
Site: https://www.facebook.com/cendrev.teatro/

Organização: Cendrev | Câmara Municipal de Évora
Apoios: DGArtes, IEFP | Estrutura pertencente à Rede Teatros e Cineteatros Portugueses (RTCP)
Media partners: Registo, Diário do Sul e Telefonia do Alentejo
Entrada Livre


Orquestra do Alentejo - Solistas da Orquestra

A Orquestra do Alentejo surge da iniciativa de um grupo de artistas profissionais de música, com vários anos de experiência a tocar nas diversas orquestras nacionais (Orquestras Gulbenkian, Sinfónica Portuguesa, Metropolitana, das Beiras, do Algarve, do Norte, etc.). Estando estabelecidos no Alentejo, sentiram a necessidade de criar uma orquestra de câmara flexível e versátil em repertório e formação, procurando consolidar a oferta numa área inexistente nesta região, contribuindo assim para o desenvolvimento local e regional, e empreender a fixação de profissionais do setor. Cria-se assim ainda oportunidades para os estudantes de música do Alentejo, para fomentar o alargamento das suas perspetivas profissionais e da sua mobilidade social e artística.

A ACODA – Associação Cultural Orquestra do Alentejo é uma associação sem fins lucrativos, cuja atividade centra-se na criação, programação e formação artística. Esta associação apresenta-se como uma estrutura profissional, valoriza o conhecimento e a experiência dos seus membros na área, promove a difusão e criação de hábitos na comunidade para o desenvolvimento de uma prática musical com objetivos culturais, sociais, educativos e de lazer, para os quais muito contribui o envolvimento dos músicos da Orquestra do Alentejo.

www.orquestradoalentejo.pt

Fotografia: Carolina Lecoq

Palácio de Dom Manuel
13 de Dezembro 2022 – 18h30
45′
Sem lugares marcados
informações e reservas:
(+351) 266 703 112 / geral@cendrev.com / www.bol.pt
Bilhete: 8€ (descontos para estudantes, seniores, famílias e grupos)